Alergia a níquel: dicas para prevenir e aliviar sintomas

Alergia a níquel: conheça os sinais, sintomas e tratamentos disponíveis, incluindo a opção de semijoias antialérgicas para evitar reações indesejadas.

Publicado em: 11/08/2023 às 22:19

O níquel é um metal versátil e super fácil de achar no mercado, sendo uma opção mais em conta que o ouro e a prata.

No entanto, poucos sabem, mas o níquel pode ser um vilão para quem sofre de alergias.

Se você já passou por uma situação chata usando brincos, pulseiras ou qualquer acessório, é bem provável que seja alérgico ao níquel.

É um material classificado como alérgeno, ou seja, pode desencadear uma baita resposta alérgica em pessoas sensíveis a ela.

Se você tá preocupada(o) com os riscos da alergia ao níquel ou já teve uma experiência nada agradável, não precisa se desesperar! Temos algumas dicas para ajudar a lidar com isso.

Em nosso artigo, fornecemos dicas para prevenir e aliviar os sintomas da alergia a níquel. Não deixe de conferir!

 

 

Níquel em semijoias – entenda os perigos

O níquel, esse elemento químico super poderoso, é muito usado na indústria por causa das suas propriedades únicas.

Conhecido por ser resistente à corrosão e a oxidação, o material é também uma opção interessante na hora de fazer semijoias.

Mas calma lá, nem tudo são flores, temos que ressaltar que também existem algumas desvantagens.

Apesar de ser mais em conta para extrair em comparação com outros metais, é preciso ficar de olho, pois o uso do níquel em semijoias pode trazer alguns probleminhas.

Quando em contato direto com a pele, o níquel pode causar irritações e, em casos mais graves, até mesmo levar ao desenvolvimento de câncer.

Em quantidades altas, o trato com semijoias contendo esse metal pode acabar causando uma condição indesejada chamada dermatite de contato, que se manifesta como uma reação alérgica na pele.

E aí, pra você que talvez não manje muito dos termos técnicos, é bem simples: imagina que o níquel é tipo um "gatilho" para o seu sistema imunológico.

Quando você entra em contato com produtos com a substância, o seu corpo pode reagir de forma exagerada e rolar uns sintomas chatinhos, tipo coceira, pele vermelha e irritada.

 

 

Outros materiais que podem causar alergias em semijoias

Sabia que nem toda semijoia dá problema de alergia? Pois é, a resposta depende do processo de fabricação e dos materiais usados.

Lá fora, em vários países da Europa, nos Estados Unidos e no Canadá, o uso de níquel em semijoias é proibido devido ao seu potencial alergênico.

Essas restrições foram estabelecidas para proteger a saúde dos consumidores e evitar reações indesejadas.

No entanto, é bom deixar claro que no Brasil ainda não tem uma lei específica pra barrar o uso de níquel nas semijoias, diferente dos países que já se ligaram nessa questão.

Isso quer dizer que algumas empresas podem usar esse material nas suas fórmulas, o que pode representar um risco para pessoas sensíveis a alergias.

Vale lembrar que existem outros materiais similares ao níquel que também podem causar alergias em algumas pessoas. Olha só três exemplos:

 

 

·         Cobre: apesar de ser bastante usado na produção de semijoias, algumas pessoas podem ter sensibilidade ao cobre e desenvolver reações alérgicas;

·         Zinco: outro material bastante utilizado em semijoias, o zinco pode provocar alergias em algumas pessoas. É bom lembrar que a quantidade de zinco nas peças pode variar, o que pode afetar a probabilidade de reações alérgicas;

·         Chumbo: embora seja menos frequente, algumas semijoias podem conter vestígios de chumbo, que é conhecido por ser tóxico e causar alergias. É extremamente importante evitar o uso de semijoias que contenham esse metal.

 

 

Para não arriscar, várias marcas, tipo a Fama Folheadas, optam por não usar materiais alergênicos nas suas peças.

Com isso, nosso foco é trazer produtos antialérgicos, garantindo total segurança e conforto para quem usa nossas peças.

 

 

Identificando os principais sintomas da alergia a níquel

O níquel é um metal que tá presente em vários objetos do dia a dia, mas pode causar alergias em algumas pessoas.

Essa condição, conhecida como alergia a níquel, pode causar desconforto e irritação na pele.

E aí, para evitar esse problema, uma opção é optar por semijoias antialérgicas, que são feitas com materiais que não contêm níquel.

Quando uma pessoa é alérgica ao níquel, os sintomas mais batidos incluem coceira intensa, vermelhidão, inchaço e erupções cutâneas.

Imagina só: você tá toda toda, usando aquele par de brincos maravilhosos que comprou outro dia, e do nada, bate uma coceira maluca nas orelhas que não dá para aguentar! Que situação, hein?

E então, na hora que você corre para se ver no espelho, pimba! Nota que a pele em volta dos brincos tá vermelha e toda irritadinha.

É aquele sintoma clássico da alergia a níquel, percebe?

 

 

Como os sintomas se manifestam no corpo

Quando o níquel entra em contato com a pele de quem é alérgico, rola uma reação imunológica que faz brotar todos aqueles sintomas que falamos antes.

Ela pode acontecer logo de cara, assim que o metal toca a pele, ou ficar escondidinha e aparecer só depois de algumas horas.

E é sempre bom dar um destaque nisso: os sintomas não são iguais pra todo mundo! Cada pessoa pode sentir de um jeito diferente.

Em alguns casos, o desconforto pode ser mais forte, enquanto em outros, pode ser mais sucinto.

 

 

Duração dos sintomas

Uma curiosidade bem interessante sobre a alergia ao níquel é que os sintomas podem persistir por um período prolongado.

Em certos casos, esses sintomas podem dar as caras por semanas, quem sabe até um mês, antes de sumirem de vez.

Por isso, é importante manter distância dos objetos com níquel durante esse tempinho, para dar aquela chance para o seu corpo se recuperar.

 

 

Alergia a níquel? Dicas caseiras para aliviar os sintomas

Se você está sofrendo com alergia a níquel, nada de pânico!

Para quem tá com sintomas leves, é possível adotar umas medidas simples para aliviar o desconforto.

Confira aqui algumas dicas que podem te ajudar a lidar com essa alergia chata.

 

 

Evite o contato direto com objetos de níquel

O primeiro passo é identificar quais objetos do seu dia a dia contêm níquel. Tipo, joias, bijuterias, fivelas de cinto, botões de calças e até os bagulhos da cozinha.

Então, evite o uso desses itens ou dê preferência para alternativas sem níquel.

Além disso, cuidado com o contato prolongado com objetos metálicos, como moedas ou chaves, porque elas também podem ter níquel na composição.

 

 

Mantenha a pele limpa e hidratada

Mantendo a pele sempre limpinha e bem hidratada, dá para diminuir bastante a irritação causada pela alergia a níquel.

Na hora de lavar a área afetada, use água morna e um sabonete suave. Nada de produtos cheios de fragrância ou substâncias que podem deixar a pele irritada.

Depois de lavar, aplique uma pequena camada de creme hidratante hipoalergênico. Isso vai ajudar a proteger a pele e dar uma sossegada na coceira.

Após a lavagem, é só aplicar um pouquinho de creme hidratante hipoalergênico para proteger a pele e aliviar a coceirinha.

 

 

Utilize compressas frias para aliviar a coceira

Se a coceirinha não quiser dar trégua, uma compressa fria pode ser a solução mais fácil e eficiente.

Pega uma toalha limpa, molhe na água gelada e aplique de leve na área afetada.

A temperatura fria ajudará a aliviar a coceira e reduzir a inflamação. Só não esquece de não esfregar a pele, tá? Isso pode deixar a irritação ainda pior!

 

 

Como evitar alergia a níquel: dicas para escolher acessórios seguros

Se você é alérgico ao níquel, é bom ficar de olho e tomar uns cuidadinhos para não passar perrengue com esse metal chato que pode causar muito desconforto e irritação.

Muita gente compra semijoias sem nem saber de onde vêm ou se são mesmo antialérgicas, e aí a situação pode piorar os sintomas, viu?

Por isso é superimportante optar por acessórios que sejam níquel Free, como os que a Fama Folheados oferece.

Somos especialistas em peças autênticas, feitas com materiais de primeira para semijoias antialérgicas. Aqui, a qualidade e segurança dos nossos produtos são garantidas!

Ao escolher os acessórios da nossa marca, você estará garantindo peças livres de níquel, o que reduz significativamente o risco de reações alérgicas.

 

 

Semijoias antialérgicas: como identificar se uma peça é realmente níquel Free?

Atenção aos detalhes! Verifique se a peça possui um revestimento de ouro, prata ou outro material que evite o contato direto do níquel com a pele.

Além disso, é bom ficar de olho em certificações ou selos de qualidade que atestem a ausência de níquel na composição da peça.

Outra dica é observar a cor da joia. Peças níquel Free geralmente apresentam uma tonalidade mais clara, pois o níquel é responsável por conferir um tom mais escuro.

Lembre-se que cada pessoa reage de maneira diferente ao material, então é importante ficar ligado nos sinais do seu corpo.

Se bater aquela dúvida sobre a origem ou segurança da peça, é legal dar um pulo em um especialista em alergias ou dermatologista.

 

 

Considerações finais

No final das contas, é sempre bom lembrar que a alergia a níquel é bem comum, mas dá para controlar com algumas medidas simples.

Seguindo as dicas desse artigo, como evitar contato direto com objetos contendo níquel e usar semijoias antialérgicas, dá para prevenir aqueles sintomas chatos.

Além do mais, é super importante buscar a ajuda médica para um diagnóstico certeiro e um tratamento adequado.

Então, não esqueça de zelar pela sua saúde e bem-estar, adotando essas medidas no seu dia a dia. É só manter o cuidado que tá tudo certo!


Cuidados com a semijoia

Cuidado com folheados: confira essas dicas para fazer suas peças durarem muito mais.